Publicado em

Oscilação cambial – qual é o momento ideal para internacionalizar?

Economias globalizadas, novos mercados com potencial de consumo, inovação tecnológica ou ainda simplesmente mitigação de riscos. Os motivos são amplos e diversos para buscar a internacionalização. Cada vez mais, empresas brasileiras têm procurado ampliar a sua atuação no mercado buscando novos territórios para expandir, em especial nos Estados Unidos.

Paralelamente, estamos passando por uma crise econômica mundial provocada pela pandemia da Covid-19. Com toda a incerteza econômica e a cotação do dólar crescendo, muitos projetos foram colocados em modo stand-by. Porém, o que não ficou, e não ficará à espera de um câmbio mais favorável, é o mercado mundial.

Boa parte das empresas brasileiras com planos de internacionalização está à espera de “um momento melhor” para agir e retomar seus projetos de expansão para o mercado americano. Mas, talvez esperar pode não ser a melhor decisão.

Ao longo deste texto vamos entender porque a oscilação cambial não deve ser o único parâmetro para definir o momento de fazer novos investimentos no exterior.

Faz sentido empreender e investir nos EUA mesmo em meio à crise e à “alta” do dólar?

A pandemia do novo coronavírus está modificando de forma profunda o cenário mundial. Além disso, já é possível observar alterações no comportamento dos consumidores. Uma pesquisa realizada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), mostra que 83% das empresas precisarão de mais inovação no pós-pandemia.

A queda contínua da taxa básica de juros (Selic), a níveis nunca vistos no Brasil, também tem mudado o estilo de investimento do brasileiro. Isso porque investimentos em renda fixa, que sempre foram a opção mais simples e segura, deixaram de oferecer retornos altos e fáceis. Mesmo com o real valendo bem menos em relação ao dólar, de acordo com o Banco Central, só nos cinco primeiros meses deste ano US$ 3,5 bilhões em recursos de investidores brasileiros foram para fundos de investimento no exterior, quase cinco vezes mais que o mesmo período de 2019, quando a taxa de câmbio era mais atrativa.

Essa transferência de capital fica mais fácil de entender quando usamos como exemplo um investidor que há 10 anos teria investido no índice da bolsa brasileira em USD (EWZ), e visto seu investimento ter uma desvalorização de aproximadamente 50%. Caso esse mesmo investidor tivesse investido no índice S&P 500 (que acompanha as 500 maiores empresas dos EUA), teria tido uma valorização de 230%. Mercados mais maduros e competitivos tendem a apresentar melhores resultados a longo prazo.

Muitas empresas que estavam acostumadas a investir suas reservas em renda fixa estão tendo de revisar seus portfólios, e inclusive indo buscar alternativas no exterior, mesmo em tempos de pandemia. Mas se isso faz sentido do ponto de vista financeiro, porque não também em relação à atividade-fim da empresa?

Segundo uma pesquisa realizada pela Fundação Dom Cabral (FDC) até o ano de 2018, 71,9% das companhias brasileiras aumentaram os investimentos no mercado externo para diminuir a dependência da economia interna. Investir em operações no exterior faz parte da estratégia para manter a competitividade e estabilidade financeira, mesmo com o dólar valorizado frente ao real.

Claro que um processo de internacionalização, ou de qualquer formato de expansão, não acontece da noite para o dia. São decisões e passos que requerem planejamento, análises de mercado e execução cuidadosa. Porém, há caminhos para que esse processo se dê de forma segura e gradativa, fazendo com que o valor de investimento não seja tão grande e nem apenas em um momento só, mitigando riscos e assegurando a viabilidade a cada passo.

É preciso olhar para a frente com atenção e cautela, mas realismo. Quando falamos sobre internacionalização, se a empresa já estiver operando em dólares, ou em qualquer outra moeda mais forte que o real, isso lhe proporcionará um tempo valioso para tomada de decisões com menor urgência. O que não deveria acontecer é a paralisação completa o processo para esperar uma cotação mais favorável.

Apesar da pandemia do Covid-19 fazer com que, de certa forma, toda a economia mundial tenha sofrido uma grande retração, os Estados Unidos têm mostrado fortes sinais de retomada. A taxa de desempregados recuou para 10,2% em julho de 2020, que chegou a atingir o pico em abril com 14,7%, conforme divulgado por Economia G1.

Segundo ainda o Departamento de Trabalho dos Estados Unidos, as melhorias no mercado de trabalho refletem a contínua retomada da atividade econômica que havia sido reduzida devido à pandemia do coronavírus e aos esforços para conter estas quedas. No mês passado, houve “ganhos notáveis” no emprego em lazer e hospitalidade, governo, varejo, serviços profissionais e de negócios, outros serviços e atenção à saúde.

O mercado americano está cada vez mais sólido e repleto de oportunidades, iguais aos patamares pré-pandemia. A robustez da economia americana permite que a recuperação dos mercados nos EUA esteja sempre vários passos à frente do Brasil.

E, retomando para a questão central deste texto, o processo de internacionalização não deve ser interrompido ou adiado em função da taxa de câmbio momentânea, visto que essa oscilação sempre irá acontecer.

Aliás, o câmbio é uma das variáveis mais importantes na equação de definição da internacionalização do negócio (antes, durante e depois do processo realizado). Logo, se considerarmos que em um cenário futuro o câmbio “desfavorável” em relação ao Real pode ter um efeito menos impactante, neutro ou até benéfico para o negócio já internacionalizado, então o que se tem de fazer é chegar a esse cenário o quanto antes.

Dessa forma, a resposta à pergunta inicial deveria ser sim, pode fazer sentido e até ser estratégico empreender e investir nos Estados Unidos mesmo em meio à crise e à “alta” do dólar, desde que se faça o devido estudo do mercado e planejamento de longo prazo do negócio. 

Publicado em

Produtividade – como fazer para manter o rendimento em tempos de crise

Listas extensas de tarefas, passar o dia todo ocupado, acordar cedo e dormir tarde, fazer várias coisas ao mesmo tempo, achar que descansar é perder tempo. Todas essas ações em algum momento podem ser vistas como produtivas. Se você tem, ou já teve algum destes pensamentos precisamos dizer que está na hora de ressignificar o que é produtividade.

Ser produtivo pode ser a diferença entre ter sucesso ou não, e o assunto fica mais relevante quando você planeja internacionalizar seu negócio. É preciso lembrar que uma economia como a americana está acostumada a trabalhar em um ritmo totalmente diferente e não tem tempo a perder.  

Abaixo listamos algumas dicas de como manter-se produtivo e engajar as suas equipes:

 1) Planeje seu dia na noite anterior:

Parece clichê, mas parar cinco minutos antes de dormir e planejar o seu dia seguinte lhe renderá organização e clareza. Liste todas as coisas que você precisa e deseja fazer, coloque as tarefas em ordem de prioridade, essa lista não precisa, e nem deve, ser extensa. Ela precisa ser objetiva e factível.

Dormir com o dia planejado lhe trará segurança e objetividade, com isso o foco lhe ajuda a ser certeiro nos prazos.

2) Liste as tarefas mais difíceis em primeiro lugar

Além de ordenar as tarefas por prioridade, procure posicionar as mais difíceis de serem realizadas no topo da sua lista. À medida que o dia vai passando e as atividades mais desafiadoras vão sendo eliminadas, o dia vai melhorando com uma agenda mais leve.

3) Identifique seus períodos de produtividade

Todos temos um período do dia em que somos mais produtivos. Alguns conseguem focar pela manhã, outros à tarde e outros ainda pela noite, tem até os madrugadores. Analise e programe as tarefas mais difíceis para serem feitas nesses momentos. Assim suas tarefas mais simples e rápidas serão concluídas com leveza.

4) Não queira fazer tudo ao mesmo tempo: uma coisa de cada vez

Se você possui tarefas que exijam um alto nível de concentração, mantenha o foco em realizá-las uma de cada vez. Não tente ser multitarefas nesses casos, pois o trabalho pode até ser rapidamente concluído, mas poderá perder a qualidade e ter ocorrências de falhas no processo.

5) Priorize o que deve ser feito

Faça as coisas urgentes primeiro. Não encha a sua lista com tarefas que não são urgentes, assim você olhará sua lista e lhe parecerá impossível realizar cada coisa.

Sempre avalie as coisas que você faz e o que isso está refletindo sobre a sua real importância naquele momento. Corte ou adie estas tarefas da lista e dos seus hábitos diários para focar no que realmente importa.

Existe uma regra chamada 80/20 que se refere ao fenômeno em que 20% das ações levam a 80% dos resultados. Então, identifique quais são esses 20% e concentre-se nas tarefas que geram os 80% dos resultados.

6) Faça da sua lista um hábito de controle

Uma lista de coisas a fazer permite identificar rapidamente todas as tarefas que precisam ser feitas no seu dia reduzindo o esforço mental para se lembrar delas. Algumas atividades urgentes acabam aparecendo. Adicione-as na lista do lado ou abaixo da tarefa que está realizando para não esquecer.

Caso não seja tão urgente ou importante pode ser adicionada na lista do dia seguinte. Durante todo o dia, haverá muitas coisas que exijam a sua atenção e, para não perder o foco, vá adicionando essas atividades menos urgentes.

Geralmente são pequenos trabalhos que não levam muito tempo, mas podem ser muito importantes.

7)    Não adie as suas tarefas

O pensamento de deixar para depois o que precisa ou pode ser feito agora representa um grande gastador de tempo, leva a grandes acúmulos de tarefas e à procrastinação. Para ajudar a mudar esse pensamento, sempre que pensar em adiar uma tarefa por indisposição, preguiça ou dificuldade, lembre-se de quantas coisas que poderia ter realizado se nunca deixasse nada para depois.

Essa prática com o tempo se tornará hábito e a sua produtividade pessoal aumentará espantosamente.

8) Use ferramentas de produtividade

Existem ferramentas, softwares e hardwares, que  ajudam a aumentar a produtividade, organizar o tempo e tarefas. Você deve utilizá-las.

9) Pratique a meditação

A meditação ajuda a limpar a mente, acalma a ansiedade, faz a sua consciência despertar para as prioridades e ajuda você a se concentrar no trabalho. Quanto maior for a sua clareza mental, mais poderá se concentrar nas tarefas e a produtividade será elevada com qualidade.

10) Durma bem

Um bom sono pode aumentar consideravelmente os níveis de produtividade. Lembre-se que não é só a quantidade de horas dormidas que importa, mas a qualidade do sono. A lista de tarefas já elimina boa parte das preocupações em lembrar o que será feito no dia seguinte. Então, antes de dormir, tente relaxar.

Afaste-se da televisão, computadores, telefones e qualquer outro dispositivo que tome a sua atenção. Você pode utilizar esse momento para praticar a meditação e limpar a desordem mental. Verá como consegue dormir melhor.

11) Elimine suas distrações

Durante o dia muitas distrações podem afetar o nosso desempenho no trabalho. Páginas de redes sociais, televisão, rádio, telefone, conversas paralelas e outros desperdiçadores de tempo devem ser removidos antes mesmo de começar a trabalhar. Feche as páginas das redes sociais, se você possui mais de um e-mail abra apenas aquele que for utilizar, o restante permaneça fechado.

Se você não precisa da internet para executar certas tarefas, corte o acesso por completo.

12) Divirta-se trabalhando

Você passa uma boa parte da vida trabalhando, por isso é preciso que seja divertido. Encontre uma maneira mais agradável e divertida de se fazer as coisas e verá como o trabalho ficará mais empolgante.

Você pode brincar de desafiar a si mesmo cronometrando o tempo que leva para realizar certas tarefas e sempre buscar quebrar um novo recorde.

13) Aprenda com os melhores

Identifique os profissionais que são os melhores no que você faz. Siga-os, aprenda com eles, entenda as melhores práticas utilizadas, adote e molde-as aos seus comportamentos.

Isto influenciará na sua curva de aprendizagem, o tornará um profissional mais completo, atualizado e eficiente aumentando as chances de sucesso na carreira.

14) Delegue tarefas

Muitas tarefas que você executa podem ser realizadas por outras pessoas. Avalie o que você faz para descobrir se alguma atividade pode ser transferida para alguém com mais tempo disponível e/ou com maiores habilidades para realizá-las.

Tire o máximo proveito do tempo que você tem delegando essas tarefas.

15) Aprenda a dizer não

O não pode ser uma ferramenta poderosa! Algumas pessoas possuem dificuldade em dizer não, mas às vezes é preciso. Dizer sim para todas as pessoas e coisas que você não quer fazer, tarefas que não são importantes e as atividades que não estão relacionadas com os seus objetivos, impedirá o progresso do que realmente importa ou do que você realmente deseja fazer.

16) Crie um ambiente propício

Seu ambiente de trabalho tem um papel fundamental no quesito desempenho. Certifique-se de que você está trabalhando em um espaço pessoal que te motiva. Prepare um ambiente organizado, limpo, confortável, silencioso ou com sons ambientes estimulantes da concentração e relaxamento.

17) Limite os seus pensamentos

Não se preocupe com cenários hipotéticos e que ainda não ocorreram. Muitos pensamentos e sentimentos negativos são gerados por essas preocupações desnecessariamente, uma vez que muitas dessas situações nunca ocorrerão. Evite viver em uma bolha com esses pensamentos. Ao contrário, foque em soluções para cada situação, caso venham a acontecer no futuro.

Assim você se sentirá mais seguro e confiante.

18) Acompanhe o bem estar da sua equipe

Produtividade e bem-estar estão intrinsecamente vinculados. O bem-estar é uma prioridade para muitas organizações hoje, pois é uma chave motor do indivíduo e do desempenho organizacional. Reserve um tempo para verificar como está o seu time.

19) Alinhe as expectativas

Organize com seu time uma reunião semanal sobre as tarefas, faça uma reunião de 30 minutos com o seu time no início da semana para delegar e alinhar as prioridades da semana seguinte. Defina datas de entrega e comemore com o seu time as metas alcançadas.

Ao liderar remotamente você não conseguirá liderar tudo de uma vez só, construa confiança e capacite sua equipe para assumir ações e aprender com os seus erros. A produtividade máximo virá com confiança no time que as faz.

20) Utilize ferramentas para ajudar na organização

Use uma plataforma online para organizar e priorizar tarefas de uma forma que seja visível para toda a equipe.